quinta-feira, 24 de maio de 2012

A Seca


A vida pode ser dividida em varias estações. Alguns diriam que o inverno é a pior de todas. O frio congela nossos sonhos, a neve retira toda nossa alegria e o sol desaparece junto com a esperança. A unica coisa que resta é o céu cinza e a tristeza no coração.


Como moro no Brasil em um país tropical, as 4 estações não são muito bem definidas, principalmente aqui em Brasília. Mas todo brasiliense conhece muito bem duas estações. A de Chuva e a da Seca. Metade do ano chove e a outra é seca. Na época da chuva, as arvores tem folhas e a grama fica verde. Já na seca a única cor que se vê em toda Brasília é marrom. Só tem puera e sujeira.


Entender de seca eu entendo. Todos os anos quando a seca chega passamos mais 100 dias sem cair uma gota d'água do céu. As doenças aumentam, ventilador se torna seu companheiro de quarto e sua respiração fica mais ofegante.


Por muitas vezes a nossa vida se encontra assim, uma verdadeira Seca. Nada acontece, nada melhora, nenhuma gota de água cai do céu. Você rega a "terra" todos os dias, mas não é o suficiente. Toda manhã você tem que regar seus sonhos, podar seus sentimos, adubar sua fé e lavar as folhas da esperança.


A Bíblia relata que  em uma época não chovia em toda Israel. Foram exatamente 3 anos de seca. A água se tornou algo mais valioso. Momentos antes do Senhor derramar chuva, Elias  confrontou os profetas de Ball. A sua oferta foi o mais precioso de tudo que havia naquela terra, ÁGUA. Ele ofereceu ao Senhor a sua água, aquilo que o permitia estar vivo. (1 Reis 18)


Se hoje você esta mais para um grande deserto do que para mananciais, faça como Elias, derrame para o Senhor aquilo que é mais precioso. Entregue perante o Senhor toda sua angustia e CREIA que o Senhor fará CHOVER nessa terra seca.


CREIA quando tudo dizer não.
CREIA quando não houver solução
CREIA quando as forças se esgotarem.
CREIA quando as esperanças se esfriarem.


CREIA  no Deus todo poderoso.


Mélodi Modesto Campos
BSB-24/05/2012 


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário